sexta-feira, 8 de julho de 2011

Tanabata matsuri (festival das estrelas)

Como aqui no じゃパオ Tudo gira em torno da mitologia.
Uma das maiores e mais populares comemoração japonesas, o festival de Tanabata ou Tanabata Matsuri, é muito conhecido por sua decoração, durante o festival ruas e praças são decoradas com grandes ramos de bambu ornamentados com pequenos pedaços de papel colorido que simbolizam as estrelas, os tanzaku (短冊), onde as pessoas escrevem seus pedidos.
Origem do nome
O nome Tanabata é relacionado com a leitura das cartas chinesas, que costumavam ser chamadas de shichiseki [七夕]. Para tanto, nas cerimônias xintoístas de purificação, as miko [巫女] (mulheres que transmitiam as palavras dos deuses) vestiam sobre seus vestidos, um pano especial denominado tanabata [棚机], rezando para os deuses pela proteção das plantações de arroz, pela chuva e mais tarde, por uma boa colheita no outono.
Curiosamente, devido à influência da festa chinesa, escreve-se Shichiseki em chinês [七夕] e lê-se Tanabata em japonês [たなばた].
A Lenda que deu origem à comemoração:
Há muito tempo, morava próximo do rio de estrelas, Amanogawa [天の川] (Via Láctea) uma linda princesa chamada Orihime [織姫] a “Princesa Tecelã”, a qual tecia belas roupas mas vivia triste por estar sempre ocupada, sem tempo para se apaixonar.
Certo dia Tentei [天帝] o “Senhor Celestial”, pai da moça, apresentou-lhe um jovem e belo rapaz, Hikoboshi (ou Kengyuu) [彦星] (Pastor de Gado), acreditando que este fosse o par ideal para ela.
Os dois se apaixonaram perdidamente. A partir de então, a vida de ambos girava apenas em torno desse amor, deixando de lado suas tarefas e obrigações diárias.
Indignado com a falta de responsabilidade do jovem casal, o pai de Orihime decidiu separar os dois, obrigando-os a morar em lados opostos da Via-Láctea.
tanabata-05A separação trouxe muito sofrimento e tristeza para Orihime. Sentindo o pesar de sua filha, seu pai resolveu permitir que o jovem casal se encontrasse, porém somente uma vez por ano, no sétimo dia do sétimo mês do calendário lunar, desde que cumprissem sua ordem de atender todos os pedidos vindos da Terra nesta data. Assim, todos os anos, nesta data, a partir da foz da Via Láctea, um barqueiro da lua leva Orihime ao encontro do seu amado Hikoboshi. Contudo, caso a princesa não tenha feito o melhor da sua tarefa, o Senhor Celestial fazia com que chovesse, inundando o rio e impedindo que o barqueiro viesse buscá-la. Nestas ocasiões, os Kasasagi (grupo de aves) ajudavam a princesa a cruzar o rio, formando uma ponte de pássaros sobre a Via Láctea.
Este casal é representado por estrelas situadas em lados opostos da galáxia, que realmente só são vistas juntas uma vez por ano: Vega (Orihime) e Altair (Kengyu).
O festival teve início há mais de 1.150 anos, na Corte Imperial, e a data tornou-se feriado nacional em 1603.
Canção tradicional
Há uma canção tradicional de Tanabata que é ensinada praticamente a todas as crianças japonesas:
Sasa no ha sara-sara     (笹の葉 さらさら)
Nokiba ni yureru         (軒端にゆれる  )
Ohoshi-sama kira-kira    (お星様 キラキラ)
Kin Gin sunago           (金銀砂ご    )
Tradução aproximada:As folhas do bambu, murmuram, murmuram,
balançam as pontas.
As estrelas brilham, brilham,
grãos de areia de ouro e prata.
A maioria dos evangelicos  pressionados por seus pastores proibem os filhos de participarem desses eventos nas escolas ,porem eu nao proibo a minha filha ,temos que aprender a discernir  o que e certo e errado e nesse caso nao vejo nada demais de minha filha participar .Afinal nao estara adorando deuses estranhos e nem praticando a idolatria.

10 comentários:

K∂riиє* Smith. disse...

Olha, não é por nada não mas tá pra nascer um país com mais festivais do que o Japão, né? hahaha

Eu acho super bacana e curtiria muito se tivesse a oportunidade um dia...

beijo

Mulher de Fases disse...

Que interessante Gigi! Já percebi que os asiáticos gostam muito de histórias folcloricas, celebracões. Interessante que sempre temos essa imagem do povo da àsia, bem tímido, contido, mas o calendário anual deles é bem festivo. Estou errada??

Bjs

Gisley Scott disse...

Gostei muito das fitinhas e vou com vc, é uma parte da cultura japonesa, assim como a capoeira é parte da nossa cultura.Só pq alguém aprecia capoeira isso não quer dizer que eles são adeptos da religião "afro-brasileira"(agora tem que escrever assim né?).

Achei a música muito lindinha :)!

As histórias de amor japonesas tem muita doçura e muita pureza.Gosto disso!

bjus

Kariny - Mamãe Cristã disse...

nossa! cada vez que venho aqui fico mais impressionada com a cultura deles. realmente é um pais mto rico culturalmente! e sobre o que vc falou eu concordo com vc, temos que dicernir o certo do errado, o que agrada a Deus, o que não tem nada demais e o que realmente é idolatria! beijos!

Michelle Lima Ruda disse...

Olá Gigi! A cultura japonesa é riquíssima, ainda essa semana eu estava cuidando do meu bonsai e comentando isso com meu marido, fico impressionada com a diversidade tb, comida, plantações, artes marciais etc... Aqui tb temos algumas tradições das quais tb participo, vc ver no meu blog, isso é questão de cultura do povo, não é idolatria! Tb acho a escrita japonesa uma arte! Obrigada por compartilhar conosco! Bjos

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Eita saudadezinha gostosa que dá ler tudo isso!

Kariny - Mamãe Cristã disse...

amada lendo seu comentário fiquei imaginando como vc se sentiu depois da cena. mas tem horas que a gente realmente vira leoa em defesa as nossas pequenas. essas crianças que os pais só passam a mão e acobertam tudo que fazem são assim mesmo e a gente acaba ficando sem paciencia. o importante, como vc mesma disse, é que ela parou com isso. aqui em casa no fim das contas deu tudo certo, mas não foi fácil. mesmo eles sendo pais que repreendem, a menina está numa fase dificil e eu tive que orar mto pedindo paciencia, pois ela batia na Kamila escondida e tem horas q eu pegava no flagra, e as vezes a Kamila não estava fazendo nada e a menina inventava coisas, enfim... não foi nada mole rs! mas graças a Deus deu tudo certo e eles foram embora deixando saudades! beijos

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Queridaaaaaaaaaaa!
Obrigadíssima pelo comentário que você deixou hoje lá no meu cantinho. Você sempre chega de mansinho e dá um show de carinho e sabedoria.
Um grande abraço flor!

Paula Li disse...

Oi Gigi, estou passando para deixar um beijo, faz tão tempo que não apareço por aqui!
Aliás, não tenho aparecido em blog nenhum, nem no meu rsrsrs.
P.S: não consigo comentar no seu post mais atualizado, dá pagina não encontrada.
Beijos e abraços

Fabi a loba!!! disse...

Gigi tem como não admirar esse povo? Como já disse adoro a cultura Japonesa eles são bem festivos...

Beijinhos